Título: A teoria da revolução no jovem Marx
Título Original: La théorie de la révolution chez le jeune Marx
Autor(a): Michael Löwy
Prefácio: Apresentação: Rodnei Antônio do Nascimento Orelha: Antonio Carlos Mazzeo
Tradutor(a): Anderson Gonçalves
Páginas: 224
Ano de publicação: 2012
ISBN: 978-85-7559-291-5
Preço: R$ 35,00
Indique para um amigo


Publicado pela primeira vez em 1970, na França, e agora em nova edição no Brasil, este já clássico livro do sociólogo Michael Löwy foi também traduzido do francês para o italiano, o espanhol, o japonês e o inglês.

Escrito originalmente em Paris como tese de doutorado, sob a orientação de Lucien Goldmann, a obra é essencialmente um estudo da evolução política e filosófica de Karl Marx no contexto histórico das lutas sociais na Europa durante os decisivos anos de 1840 a 1848 e, em particular, sua relação com as experiências de luta da classe operária em formação e com o primeiro movimento socialista/comunista.

Löwy relata o aparecimento, no jovem Marx, de uma nova concepção de mundo: a filosofia da práxis, fundamento metodológico de sua teoria da revolução como autoemancipação do proletariado. O livro busca compreender a gênese histórica do novo materialismo inaugurado por Marx por meio de uma pesquisa interdisciplinar que se vincula, ao mesmo tempo, à sociologia, à história social, à filosofia e à teoria política.

Segundo o professor Rodnei Antônio do Nascimento, autor da apresentação, “a teoria da revolução comunista é precisamente o fio condutor que lhe permite articular os diferentes momentos dessa trajetória, que conduz do neo-hegelianismo de esquerda à ideia de autoemancipação do proletariado e sua síntese teórica em uma filosofia da práxis, passando pelo comunismo filosófico”.

Escrito em meio a um acalorado debate acerca do sentido autêntico do marxismo, o texto de Löwy afrontou os debates que na década de 1960 ganhavam destaque nas análises de Louis Althusser, principalmente a polêmica disputa que opunha o jovem e o velho Marx. O estudo de Löwy discrepava inteiramente desse corte epistemológico que dividia a obra de Marx entre a ideologia humanista dos escritos de juventude e a teoria científica alcançada com a crítica da economia política madura.

“Esta edição sobre o desenvolvimento da teoria da revolução no ideário de Karl Marx chega em boa hora, pois retoma um tema tão estratégico quanto atual na obra do filósofo alemão: a revolução comunista”, diz o sociólogo Antonio Carlos Mazzeo, autor do texto de orelha.

Para Löwy, mais de quarenta anos após a primeira publicação, esta edição mostra-se mais necessária do que nunca. “Existe uma oportunidade histórica para redescobrir a mensagem marxiana originária e tentar desenvolvê-la de modo criador. Continuo a acreditar, tanto quanto em 1970, que a teoria marxiana da revolução como autoemancipação dos explorados permanece uma preciosa bússola para o pensamento e para a ação”.

Trecho da introdução

“Em primeiro lugar, a atividade militante de Marx não é uma passagem biográfica, mas o complemento necessário da obra, já que tanto uma quanto a outra têm a mesma finalidade: não somente interpretar o mundo, mas transformá-lo e interpretá-lo para transformá-lo. (...) A teoria da revolução comunista é evidentemente o momento em que o caráter crítico-prático da obra de Marx aparece com mais nitidez. No interior dessa estrutura particular, todo elemento teórico pode ter, ao mesmo tempo, uma dimensão prática, cada parágrafo pode se tornar um instrumento de tomada de consciência e organização da ação revolucionária. Por outro lado, a ação prescrita por essa teoria – e praticada por Marx enquanto dirigente comunista – não é voluntarista como a dos socialistas utópicos ou dos blanquistas; ela é uma política realista no sentido lato do termo, ou seja, fundada sobre a estrutura, as contradições e o movimento do próprio real; e por que é realista, supõe uma ciência rigorosa, uma ciência que estabelece, em cada momento histórico, as condições da ação revolucionária. A síntese entre o pensamento e a ‘práxis subversiva’, que existe como tendência em toda a obra de Marx, atinge sua figura concreta na teoria e na prática do ‘comunismo de massas’: a revolução torna-se ‘científica’ e a ciência, ‘revolucionária’”.

Sobre o autor

Michael Löwy nasceu na cidade de São Paulo em 1938, filho de imigrantes judeus de Viena. Licenciou-se em Ciências Sociais na Universidade de São Paulo em 1960 e doutorou-se na Sorbonne, sob a orientação de Lucien Goldmann, em 1964. Vive em Paris desde 1969, onde trabalha como diretor de pesquisas no CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) e dirige um seminário na École des Hautes Études en Sciences Sociales. Considerado um dos maiores pesquisadores das obras de Karl Marx, Leon Trotski, Rosa Luxemburgo, György Lukács, Lucien Goldmann e Walter Benjamin, tornou-se referência teórica para militantes revolucionários de toda a América Latina. Foi homenageado, em 1994, com a medalha de prata do CNRS em Ciências Sociais. É autor de livros e artigos traduzidos em 25 línguas, entre os quais Walter Benjamin: aviso de incêndio (Boitempo, 2005) e Lucien Goldmann ou a dialética da totalidade (Boitempo, 2009). É também organizador do livro Revoluções (Boitempo, 2009) que reúne os principais registros fotográficos dos processos revolucionários do final do século XIX até a segunda metade do século XX. Sobre ele, a Boitempo publicou As utopias de Michael Löwy: reflexões de um marxista insubordinado (orgs. Ivana Jinkings e João Alexandre Peschanski, São Paulo, 2007).

***

No dia 19/10/2012, Michael Löwy realizou uma conferência sobre A teoria da revolução no jovem Marx por ocasião do lançamento desta nova edição brasileira.
Veja a gravação integral do evento aqui.



PUBLICAÇÕES NA IMPRENSA:

09/11/2012 - O Estado de S.Paulo - Cultura - Clarão sobre os pesadelos da história - Luis S. Krausz

 

15/11/2012 - Revista CULT - Edições - “O Prêmio Nobel está com 55 anos de atraso” - Da redação

 

17/11/2012 - Literatura marxista - A teoria da revolução no jovem Marx - Da redação

 

19/11/2012 - IHU Unisinos - "A revolução é um belo monstro com mil cabeças" - Graziela Wolfart, Márcia Junges e Thamiris Magalhães

 

8/11/2012 - Caros Amigos - Michael Lowy analisa em livro a evolução do pensamento de Marx - Fábio Py Murta de Almeida

 

15/12/2012 - Caros Amigos - Ideias de botequim - O jovem Marx, ainda atual? - Renato Pompeu

 

11/01/2013 - Revista Poli - Entrevista Michael Löwy - - André Antunes e Cátia Guimarães

 

10/06/2013 - Le monde diplomatique - Livros - A TEORIA DA REVOLUÇÃO NO JOVEM MARX - Fabio Mascaro Querido

 

 

Coleções: Revista: Selo:

página inicial   catálogo   página anterior   cadastro

Busca Rápida
AutorTítulo
Agenda
05/03/2013 - Marx: a criação destruidora
Rua Pereira Leite, 373 – Sumarezinho - 05442-000 – São Paulo - SP Tel.: (55 11) 3875-7285/50 – Fax: (55 11) 3872-6869